Pages

25 dezembro 2010

Que teus sonhos não sejam uma mera
ilusão, que jamais desprezes os teus ideais
que cada dia aumente mais o
amor em teu coração
Que a tua maior amiga seja a felicidade
que ela esteja sempre onde estiveres
que consigas quando quiseres
a paz e a tranqüilidade
Que tenhas sempre motivos para sonhar
que o teu coração viva cheio de amor
que mesmo nos momentos de dor
não percas a capacidade de amar
Que em torno de ti vivam as verdades
que olhes sempre firme para o horizonte
que possas encontrar logo a fonte
do sonhos das tuas saudades!

( Desconheço a autoria) 

23 dezembro 2010


"O silêncio é uma prece"

21 dezembro 2010

Para cada momento, um pedido diferente!!!!








Pros erros há perdão;
Pros fracassos, chance;
Pros amores impossíveis, Tempo.




"Meu mundo se resume a palavras que me perfuram, a canções que me comovem, a paixões que já nem lembro, a perguntas sem respostas, a respostas que não me servem, à constante perseguição do que ainda não sei." (Martha Medeiros)
 

"Eu me entreguei inteira aos desafios, e eu assegurei as minhas escolhas. 
Pois certas ou não, a responsabilidade sempre será minha.
Se não der certo, não importa, pois renascerei outra vez, com esperanças renovadas a cada amanhecer."
“Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim” - C. L.
 


 "Tenho várias caras. Uma é quase bonita, outra é quase feia. 
Sou um o quê? Um quase tudo".
(Clarice Lispector)
Há impossibilidade de ser além do que se é -
no entanto eu me ultrapasso mesmo sem o delírio,
sou mais do que eu, quase normalmente -
tenho um corpo e tudo que eu fizer é continuação
de meu começo......
a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou? Bem, isso já é demais...

18 dezembro 2010

 



Não importa aonde você parou... 
em que momento da vida você cansou... 
o que importa é que sempre é possível e necessário “RECOMEÇAR”.

04 dezembro 2010




"Pegue todos os “nãos” que a vida te faz engolir. E transforme em canção pra te ajudar a seguir.
A grandeza não está em tocar sempre a melhor música, mas em aprender a dançar
corretamente todas as melodias!"

[Fernanda Gaona]

11 novembro 2010

“Porque aprendi, que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre pra tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos. Sem me preocupar se a próxima etapa será o tombo ou o vôo…
  
Caio Fernando Abreu

31 outubro 2010

23 outubro 2010

 "O amor é um sentimento inenarrável que rompe todas as barreiras e limites, invade pensamentos e impulsiona emoções, gera paz e euforia, alimenta sonhos e ilusões... dá sentido à vida de todos os apaixonados!"
"Abro meus braços e vôo alto... Não preciso dos meus pés para ir longe, vou onde meus pensamentos me levarem."

"Às vezes, a gente precisa dar um tempo, correr pra longe de todo   mundo, pra ver quem vai correr atrás da gente."






''Aprendi que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.''




 (William Shakespeare)
"Depois de todos os tombos, a vida volta ao seu rumo e no horizonte há um motivo bem concreto e real para seguir e continuar sonhando.”

21 outubro 2010

"Quem nunca saiu com o cara errado que atire a primeira pedra! Mas atire nele, por favor."

Tati Bernardi
“Não há nada de errado em - de vez em quando - chorar e pedir a Deus que nos coloque no colo.”

Paulo Coelho 

18 outubro 2010

"Gente "

Gosto de gente com a  cabeça no lugar, de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade. Gosto de gente que ri, chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago. Gente que ama e curte saudades, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais. Admira paisagens, poeira; e escuta. Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser! Gente que gosta de fazer  as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam. Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto. Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos. Com muito AMOR dentro de si. Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros e fazendo redentora suas lágrimas e sofrimentos. Gosto muito de gente assim...e desconfio que é deste tipo de gente que DEUS também gosta!

Artur da Távola

07 outubro 2010

É preciso saber viver....

 "Cada um de nós é como um livro... Que guarda sua própria história, com início, meio e fim...Nosso corpo é só uma casa onde a alma habita e a morte é o último vôo de nossa alma... Que parte por não caber mais nessa casa, como se quisesse começar uma nova história, um novo livro.
Cada minuto que passa pode ser tudo que me resta para viver,mas eu desperdiço o tempo como se ele fosse infinito.Penso, logo sei que existir é uma circunstância. "

Texto, retirado do livro de poesias de Pedro Cassiano Navarro 

30 setembro 2010

Talvez...

Talvez o que mais nos assuste quando o amor vem à tona seja essa habilidade que ele tem para revelar os nossos medos todos. As nossas belezas. As nossas feiuras. As nossas sementes que puderam florescer com viço. As nossas sementes que não conseguiram dizer suas flores. As nossas sementes que temem florir. Talvez o que mais nos assuste quando o amor vem à tona seja essa habilidade que ele tem para revelar as nossas borboletas que souberam se desvencilhar dos casulos. As nossas crisálidas apavoradas por se saber com asas, embora sonhem, encantadas, com o néctar da vida. As nossas feras vorazes e ressentidas. Talvez o que mais nos assuste quando o amor vem à tona seja essa habilidade que ele tem para revelar os nossos avanços. A nossa estagnação. Os nossos fracassos. As nossas vergonhas. As nossas vaidades. A nossa arrogância, que muitas vezes não é outra coisa senão um disfarce que o embaraço usa para esconder o conflito por sentirmos tanto afeto sem saber direito como expressá-lo. Como fazê-lo circular.


Ana Jácomo

Simplicidade...

 
Tenho aprendido com o tempo que a felicidade vibra na frequência das coisas mais simples. Que o que amacia a vida, acende o riso, convida a alma pra brincar, são essas imensas coisas pequeninas bordadas com fios de luz no tecido áspero do cotidiano. Como o toque bom do sol quando pousa na pele. A solidão que é encontro. O café da manhã com pão quentinho e sonho compartilhado. A lua quando o olhar é grande. A doçura contente de um cafuné sem pressa. O trabalho que nos erotiza. Os instantes em que repousamos os olhos em olhos amados. O poema que parece que fomos nós que escrevemos. A força da areia molhada sob os pés descalços. O sono relaxado que põe tudo pra dormir. A presença da intimidade legítima. A música que nos faz subir de oitava. A delicadeza desenhada de improviso. O banho bom que reinventa o corpo. O cheiro de terra. O cheiro de chuva. O cheiro do tempero do feijão da infância. O cheiro de quem se gosta. O acorde daquela risada que acorda tudo na gente. Essas coisas. Outras coisas. Todas, simples assim.
Ana Jácomo

30 julho 2010

 

Limites não mantém os outros de fora.
Eles te prendem dentro, portanto,
você pode passar a vida traçando linhas,
ou viver a sua vida atravessando-as.
Mas existem certas linhas que são perigosas demais para se cruzar.
Se você tiver disposto a arriscar, a vista do outro lado é espetacular!


(Grey's Anatomy)

27 julho 2010

Tainá Faco

 
 
"O barulho aqui fora me impede de ouvir o meu silêncio.
 
Meu coração está assim. Farto de todas essas saudades, de todos esses 
 
amores fracassados, de todas essas tentativas, de tantas perdas.  
 
Ando cansada de certas coisas que antes pareciam ter graça e hoje não fazem 
 
sentido algum. Sinto tudo num só instante. 
 
Eu sou o pulsar do mundo ao mesmo tempo que o mundo me suga.
 
Meu corpo abriga um cansaço que se expande de dentro pra fora. 
 
Dilacera minhas certezas. 
 
Embaraçam meus sonhos. Deixa tudo por um fio. E nesse fio eu caminho 
 
bamba. Quase caindo. 
 
 Meu querer se embolou e sabe como eu fiquei? Perdida. 
 
Em mim e nessa coisa que eu chamo de meu mundo. Será que em tempos 
 
de 
 
tantas carências e necessidades, seria ousadia demais a minha denominar 
 
algo
 
como "meu"?
 
 Eu não sei. A única certeza que tenho é que além de mim, só eu me resto. 
 
 
que também não é absolutamente estável, porque eu também me traio. 
 
Eu 
 
também me engano. Às vezes de propósito. Outras vezes por puro 
 
descuido ou
 
por realmente merecer. Você acredita nisso: que a gente tem o que 
 
merece?"


25 julho 2010

Martha Medeiros








 "...não tente chegar na hora marcada
ele pode vir antes, ou chegar depois
o amor deixa sempre 
esperando..."

24 julho 2010

FECHE os olhos e IMAGINE...

 
 
Esses dias descobrí que não somos nós que escolhemos um livro, ele deve nos escolher primeiro...Que ler não é apenas inalar ar e soltar conjuntos de letras... Mas sim desentalar sentimentos nas profundezas de nossas almas.Libertar desejos intocáveis e delirar com os pés na eternidade.É voltar a ter esperança. Fazer pedido ás estrelas.

23 julho 2010

Acreditar!!! Por que não??!!

 
 
 
"Um dia, eu disse a mim mesma
que o mundo no qual eu acreditava
haveria de existir em algum lugar do planeta!
Haveria de existir!
Nem que este lugar
fosse apenas dentro de mim..."

(Rita Apoena)

22 julho 2010

Ana Jácomo


Tinha um jeito singular de fechar os olhos quando experimentava emoção bonita, coisa de segundos e coisa imensa. Era como se os olhos quisessem segurar a lindeza do instante um bocadinho, o suficiente para levá-lo até o lugar onde o seu sabor nunca mais poderia ser perdido.

Eu via, olhos do coração abertos, e nunca mais perdi de vista o sabor desse detalhe. Porque quem ama vê miudezas com olhar suficiente pra nunca mais se perderem
.

21 julho 2010

...

 
 

Deixo
as
interrogações
para
os
que
não
têm
certeza
.
.
nós temos! (e ponto de exclamação)
.
.
São
Sentimentos
em
reticências
.
.
...o nosso...
.
. 
Sem
virgulas
nem
pontos
finais. 
.
 
...Erikah Azzevedo....

Pedaços de mim...


Martha Medeiros fala daquilo que constitui amago, de sentimentos, de saudades, de coisas perdidas... Tenho uma identificação profunda por suas palavras.


PEDAÇOS DE MIM

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante

Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.

Martha Medeiros

20 julho 2010

Que assim Seja!!!!


Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO, mesmo eu sabendo que as rosas não falam. 
Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro que nos espera não é assim tão alegre Que eu não perca a VONTADE DE VIVER,mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, dolorosa...
Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...
Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver,reconhecer e retribuir esta ajuda.
Que eu não perca o EQUILÍBRIO,mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu caia. Que eu não perca a VONTADE DE AMAR,mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo, pode não sentir o mesmo sentimento por mim...
Que eu não perca a LUZ e o BRILHO NO OLHAR,mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo, escurecerão meus olhos...Que eu não perca a GARRA,mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois adversários extremamente perigosos
Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas.
Que eu não perca o SENTIMENTO DE JUSTIÇA,mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu.
Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo que um dia meus braços estarão fracos...
Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VER, mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...
Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA,mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia.
Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado.
Que eu não perca a vontade de SER GRANDE,mesmo sabendo que o mundo é pequeno...
E acima de tudo... Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente, que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois....
VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS E CONCRETIZADA NO AMOR!


Francisco Cândido Xavier

16 julho 2010

Sempre Clarice... * . *

...há impossibilidade de ser além do que se é -
no entanto eu me ultrapasso mesmo sem o delírio,
sou mais do que eu, quase normalmente -
tenho um corpo e tudo que eu fizer é continuação
de meu começo......
a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou? Bem, isso já é demais...

(C.L )

13 julho 2010

 
" A primeira desilusão você encara como a última,

só na segunda você percebe que é só o começo..."



{ Diana Carísio }

12 julho 2010

É só o meu jeito...

Tem dentro dela as quatro estações, mas é apaixonada pelos dias ensolarados, e por noites enfeitadas de estrelas brilhantes.

Em uma de suas gavetas, guarda uma caixa de lápis para colorir sua história, escolhe as cores de acordo com o seu astral, as mais alegres são as suas preferidas. Mesmo se algo não vai bem, não há um dia que termine sem que ela não dê pelo menos um sorriso, ela sempre tem bons motivos para isso.

Com cores vibrantes, ela pinta e retoca o que está fosco. Se há coisas que a deixa triste, ela passa borracha, liquid paper ou até arranca a página só para poder desenhar de novo. Contorna com gliter as boas lembranças que é para o tempo não apagar. Cria novos tons para os momentos que virão, educa as ideias, e escolhe ir pelo caminho mais florido e reluzente.

Sua razão a mantém com os pés no chão, mas o seu coração guia os seus passos e por isso ela consegue voar. Ela é sempre uma largata virando borboleta. Tudo nela se transforma, não há nada imutável. Gosta do imperfeito, sobretudo porque admira a busca de ser alguém melhor.

Ela sabe que não está sozinha, tem uma família essencialmente linda, tem amigas para todas as horas e um amor para cultivar. Ela não é dona de ninguém, mas é do seu nariz, dos seus sentimentos e de suas razões.
Tem personalidade e um gênio do tipo bem forte. Por vezes isso bom, por outras, nem tanto.

Tem um olhar que sempre enxerga além das aparências, e os seus cinco sentidos são bem aguçados. É quente ou é fria, nunca é morna, ela odeia meio termos, não gosta do mais ou menos, ou é 8 ou é 80. É teimosa, é insistente, é insaciável, sempre deseja mais da vida. É maluca, inconstante e difícil. É Alegria, é diversão, é aventura.

É exagerada, desastrada e cheia de manias. É amável , é detestável, é doce, é amarga. Ela tem um coração do tamanho do mundo e ao mesmo tempo do tamanho de um grão, a entrada é para quem ousa se aproximar, mas a permanência é para raros.

Gosta de tudo que é simples, é adepta aos detalhes e sente ciúmes de tudo que ela não quer perder. Vive cada instante intensamente, se apega as emoções. Todo dia, ela descobre novos motivos para acreditar, vive dando reviravoltas. Nela, há uma paz que eu chamo de felicidade, nela há sonhos...muitos!

Karine Melo

11 julho 2010

Sem manual, me ame!!!!

Eu que tão pouco sei de mim
que teimosa e cheia de caras
vou à busca de algo sem fim
olhando nos olhos, quebrando barreiras

meu manual quebrado
meu disco lascado
e eu aqui nem penso
em mudar todo o sentimento

os amores e desejos
algo preso bem aqui dentro
e gritado, cantado, falado
me faz muda me faz sonetos

meus livros me descrevem
meus olhos me entregam
e eu já nem sei falar meu nome
de tantos outros, me esqueço

se tens medo por não saber quem sou
se tens medo por não saber me decifrar
se tens medo e não arriscas
é porque realmente não sou quem sonhou

deixei de lado o manual do passado
meio louca, fora de mim
bebi um vinho meio gelado
tonta, me perguntei qual será o fim?

se souberes me diga, me entenda
me decifra, me beba, me tenha
aos teus braços e mesmo sem definição
tenhas enfim, coragem e me ama.
 
                       http://defatopalavras.blogspot.com/2010/05/sem-manual-me-ame.html                          
(Um blog muito fofo que encontrei...vale a pena a visita *.*)

17 junho 2010

Camuflagens!

Ana Jácomo
Precisei recuar alguns passos do lugar onde as ondas emocionais quebram para me perguntar por que, afinal, eu estava tão irritada. O dia mal acordara e a minha paciência já havia anoitecido, não foi difícil perceber na interação com os primeiros movimentos da manhã. Se eu continuasse exatamente ali, exposta à arrebentação, à mercê dos caprichos daquele mar, era bastante provável que as águas me puxassem cada vez mais para dentro daquela emoção. Não seria bacana, eu sabia.


O mar muitas vezes me puxa, e há de me puxar incontáveis vezes sem que eu possa recuar, mas naquele instante consegui perceber a estranheza da emoção no contexto, e recuei. Na areia, menos misturada com as ondas, pude sentir a pergunta e compartilhá-la com o meu coração. Pude tocá-lo. Pude, finalmente, permitir que falasse. Rememoramos, lembrança por lembrança, os acontecimentos mais próximos dali até que, de repente, num determinado ponto, ele marejou, e me contou que eu não estava exatamente irritada, eu estava mesmo era triste.


A irritação era a tentativa grosseira de esconder uma tristeza pela qual eu não estava aceitando chorar, talvez por medo. A irritação era a casca espessa que cobria uma tristeza engasgada. A irritação era um disfarce fajuto. Era um desses jeitos transitórios de defesa. Era a manifestação equivocada de uma dor que eu tentei represar. Bobagem isso de contermos, às vezes, o nosso choro. Chorar lava. Cria espaço. Ajuda a desapertar. O embaraço começa é quando não assumimos o sentimento da vez, seja lá qual for.


Algumas tristezas não são tão isoladas como, para facilitar o processo, costumamos considerar. Algumas tristezas doem num volume tão alto que acordam as tristezas vizinhas de porta. Algumas, inclusive, são capazes de acordar andares inteiros da memória, um alvoroço só. Tentamos fugir disso, de várias maneiras, sempre que dá, mas não dá para fugir pra sempre. A fuga é só adiamento quando a dor continua à espreita, inventando disfarces, crescendo em silêncio.


Chorei. Pela tal tristeza e pela vizinhança acordada. A irritação? Que irritação?

Despertar...

Ana Jácomo

Eu vim aqui me buscar. E aqui parecia ser longe, muito longe do lugar onde eu estava, o medo costuma ver as distâncias com lente de aumento. Vim aqui me buscar porque a insatisfação me perguntava incontáveis vezes o que eu iria fazer para transformá-la e chegou um momento em que eu não consegui mais lhe dizer simplesmente que eu não sabia. Vim aqui me buscar porque cansei de fazer de conta que eu não tinha nenhuma responsabilidade com relação ao padrão repetitivo da maioria das circunstâncias difíceis que eu vivenciava. Vim aqui me buscar porque a vida se tornou tediosa demais. Opaca demais. Cansativa demais. Encolhida.

Vim aqui me buscar porque, para onde quer que eu olhasse, eu não me encontrava. Porque sentia uma saudade tão grande que chegava a doer e, embora persistisse em acreditar que ela reclamava de outras ausências, a verdade é que o tempo inteirinho ela falava da minha falta de mim. Vim aqui me buscar porque percebi que estava muito distante e que a prioridade era eu me trazer de volta. Isso, se quisesse experimentar contentamento. Se quisesse criar espaço, depois de tanto aperto. Se quisesse sentir o conforto bom da leveza, depois de tanto peso suportado. Se quisesse crescer no amor.

Vim aqui me buscar, com medo e coragem. Com toda a entrega que me era possível. Com a humildade de quem descobre se conhecer menos do que supunha e com o claro propósito de se conhecer mais. Vim aqui me buscar para varrer entulhos. Passar a limpo alguns rascunhos. Resgatar o viço do olhar. Trocar de bem com a vida. Rir com Deus, outra vez. Vim aqui me buscar para não me contentar com a mesmice. Para dizer minhas flores. Para não me surpreender ao me flagrar feliz. Para ser parecida comigo. Para me sentir em casa, de novo.

Vim aqui me buscar. Aqui, no meu coração.

14 junho 2010

Metade de mim...



Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca;
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.

08 junho 2010

Não me deixe viver o que posso, que me seja permitido desaprender os limites ...
{ Fabricio Carpinejar }

14 maio 2010

"Mas eu sou tradicional. Sou convencional, apesar de não ser normal. Se eu me corto, eu sangro. Se bato o dedo no pé da mesa, dói. Sou uma pessoa comum. Acredito no até que a morte nos separe e também no eterno enquanto dure. Acredito que, se eu sou capaz de ser fiel, alguém mais pode ser. Acredito que eu não sou uma laranja, mas preciso da minha outra metade pra me sentir inteira. Valorizo as pequenas atitudes, assim como condeno pequenas mancadas. Sou rancorosa, guardo por anos uma coisa que me magoou de verdade. Sei perdoar. Passo por cima dos erros pra ficar junto das pessoas que eu gosto. Tenho meus limites. O primeiro deles é meu amor-próprio. Perdoo uma vez, porque errar é humano. Perdoo duas porque o ser humano é estúpido às vezes. Mas não posso viver perdoando porque isso seria incompetência minha."

(Brena Braz)

13 maio 2010


Influenciar uma pessoa é dar-lhe a nossa própria alma. O indivíduo deixa de pensar com os seus próprios pensamentos ou de arder com as suas próprias paixões. As suas virtudes não lhe são naturais. Os seus pecados, se é que existe tal coisa, são tomados de empréstimo. Torna-se o eco de uma música alheia, o actor de um papel que não foi escrito para ele. O objectivo da vida é o desenvolvimento próprio, a total percepção da própria natureza, é para isso que cada um de nós vem ao mundo. Hoje em dia as pessoas têm medo de si próprias. Esqueceram o maior de todos os deveres, o dever para consigo mesmos. É verdade que são caridosas. Alimentam os esfomeados e vestem os pobres. Mas as suas próprias almas morrem de fome e estão nuas. A coragem desapareceu da nossa raça e se calhar nunca a tivemos realmente. O temor à sociedade, que é a base da moal, e o temor a Deus, que é o segredo da religião, são as duas coisas que nos governam.

Oscar Wilde,
in "O Retrato de Dorian Gray

...Depois de tudo...

Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começas a aceitar as tuas derrotas com a ...cabeça erguida e os olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. E aprendes a construir todas as tuas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair no meio do vão.

Depois algum tempo, aprendes que o sol queima se ficares exposto muito tempo. E aprendes que não importa o quanto te importas, algumas pessoas simplesmente não se importam... e aceitas que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai magoar-te de vez em quando e tu tens de perdoá-la por isso!Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se levam anos para construir confiança e apenas segundos para a destruir, e que tu podes fazer coisas num instante, das quais te arrependerás pelo resto da vida.

Aprendes que as verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longa distância. Aprendes que o que importa não é o que tens na vida, mas quem tens na vida! E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprendes que não tens que mudar de amigos se compreenderes que os amigos mudam, percebes que o teu amigo e tu podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobres que as pessoas com quem mais te importas na vida são tomadas de ti muito depressa, por isso devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vemos.

Aprendes que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós próprios. Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas com o melhor que tu mesmo podes ser. Descobres que levas muito tempo a tornares-te na pessoa que queres ser e que o tempo é curto. Aprendes que não importa onde já chegaste, mas onde vais, mas se não sabes para onde vais, qualquer lugar serve.

Aprendes que ou controlas os teus actos ou eles controlar-te-ão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados. Aprendes que heróis são aqueles que sempre fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprendes que paciência requer muita prática. Descobres que algumas vezes a pessoa que esperas que te calque quando cais é umas das poucas que te ajudam a levantar.

Aprendes que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que tiveste e com o que aprendeste com elas, do que com quantos aniversários celebraste. Aprendes que há mais dos teus pais em ti do que supunhas. Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são tolices, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar, mas isso não te dá o direito de seres cruel!

Descobres que só porque alguém não te ama da maneira que queres que te ame, não significa que essa pessoa não te ame com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém... algumas vezes tens de aprender a perdoar-te a ti mesmo! Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, serás em algum momento condenado. Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não pára para que o concertes. Aprendes que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperares que alguém te traga flores. E aprendes que realmente podes suportar... que realmente és forte! E que podes ir muito mais longe depois de pensares que não podes mais... e que realmente a nossa vida tem valor e que tu tens valor diante da vida! As nossas dúvidas são traidoras e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."

william shakespear

10 maio 2010



"Sabe o que quero de verdade? Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma. Porque sem ela, não poderia mais sentir a mim mesma."

(Clarice Lispector)